Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Inês3D

Inês3D nasce da necessidade de escrever, de partilhar momentos, emoções, dicas, pensamentos... acerca de mim, da minha família e daquilo que considero relevante os outros saberem. Sem nunca ser demais, sem ser de menos...

Inês3D

Inês3D nasce da necessidade de escrever, de partilhar momentos, emoções, dicas, pensamentos... acerca de mim, da minha família e daquilo que considero relevante os outros saberem. Sem nunca ser demais, sem ser de menos...

03
Out16

Nunca é tarde para recordar - Indonésia (Bali) - parte final

O último destino, onde pernoitamos, da nossa lua de mel foi Nusa Dua Beach. É uma zona de resorts de luxo em Bali e o local perfeito para "sopas e descanso". Ficámos uma semana nesta zona, alojados no Westin Resort, situado na linha da água. O hotel é excelente e oferece todo o tipo de serviços. Restaurantes mais simples e familiares, outros mais exclusivos e românticos, espreguiçadeiras e camas na praia de areia branca, piscinas, baby club, cabeleireiro, spa e centro de congressos. É um resort com todas as mordomias que queriamos, excepto e não me levem a mal, com demasiadas famílias. Que em nada nos incomodaram, mas as saudades dos nossos já eram muitas e ver as famílias juntas com os seus filhos fez nos ficar nostálgicos. Se procuram hotel sem ser familiar este não é opção. Nesta zona de hotéis habitam uns dóceis esquilos que a troco de sementes vêm até às mãos buscar mimos. São muito fofos.

O quarto era ótimo, espaçoso, boa casa de banho e com ótimos acessos. Os empregados do Hotel sempre muito disponíveis e com um inglês perfeito. O pequeno-almoço era bastante variado, até produtos gluten free tinham, imensa fruta, crepes, iogurte, cereais, ovos e até pratos quentes como noodles, sopas etc.

A praia de Nusa Dua é excelente, água quente, transparente, areia branca,muito limpa, forma uma baía em frente ao hotel. Na maré baixa é possível fazer passeios até quase ao recife que separa o mar da baia, com maré alta é o sítio perfeito para nadar, fazer mergulho e ou fazer absolutamente nada. 

Nusa Dua - As fotos são exemplo, tem de se ir para perceber o tão bom que mergulhar nesta água quente e transparente.

Os resorts são todos juntos e é possível fazer de hotel a hotel através de um caminho - promenade - que atravessa todos os hoteis. Como fomos em regime de APA, iamos sempre almoçar a um centro comercial que ficava a 10 minutos a pé que tinha bastante oferta de refeições, lojas e massage spots. Entrem, pagam 7 euros e durante 30 minutos fazem-vos uma foot massage inesquecível. Vale a pena!!!! Nós fizemos bastantes vezes e deviamos ter feito mais.

Atividades que fizémos, vários passeios pelo promenade, a pé e de bicicleta (alugámos no hotel), e à noite saimos duas vezes do resort em direcção à zona onde os locais habitam. Mais confuso, boa oferta de restaurantes e algumas lojas de souvenir. Encontrámos farmácia e mini mercado.

Pelo meu marido tínhamos ficamos a semana inteira no hotel mas eu tinha de ir conhecer mais sítios. E por sugestão fomos um dia a Kuta. Esta praia é muito conhecida em Bali e é um dos sitios, que já foi sem dúvida, dos mais procurados. Hoje em dia tem excesso de turistas, e torna-se feio, caótico e pouco atrativo. Demos uma volta pela praia e pela vila e chegou. O Carlos fez surf e eu fiquei na areia a observar e a apanhar sol. Há imenso comércio, lojas de Surf - Hurley, Billabong, Quicksilver, 69 Slam, Vans - mas os preços não são muito mais baratos. Falaram-nos numa zona de outlets na estrada que liga Kuta a Seminiak e fomos espreitar, uma das lojas chama-se Surf Factory Outlet. Apanhámos um Táxi e pedimos para parar na zona das compras. Aí sim conseguimos comprar bem e bem mais barato - Hurley, Billabong e Quicksilver. Recomendo!!!! 

As poucas fotos que tirámos em Kuta. Tem ótimas ondas mas a quantidade de surfistas locais na água é assustador.

Um sítio que recomendamos sem dúvida alguma é ir a Seminyak. Esta localidade fica na continuidade da Praia de Legian (outra badalada zona cheia de lojas, restaurantes e bares). Tínhamos uma reserva de restaurante e por isso fomos até esta zona, como chegámos antes da hora. Pedimos ao motorista para nos levar até perto da praia. Percebemos que era bastante diferente de Kuta pelo número de pessoas. Chegámos à praia e esta era uma praia diferente das outras. A areia mais escura, o mar mais aberto, sem recifes, boas ondas e algumas pessoas a passear pela praia. Começámos a passear e o sunset estava próximo. Ao irmos caminhando fomos ouvindo música proveniente dos bares e hoteis na linha da praia até que chegámos perto de um onde entrava gente muito gira e de fora via-se que era bem frequentado. Fomos espreitar! Entrámos no Ku De Ta, um beach club famoso da zona. E que por coincidência tínhamos estado em Singapura no Marina Bay. Nesta praia, todos os dias centenas de pessoas de reúnem-se ali no fim de tarde para beber ao som de DJ’s e curtir um pôr-do-sol dos mais inesquecíveis de Bali. Adorámos o ambiente, as pessoas, as bebidas e o Sunset. Decidimos que teríamos de lá voltar. Saímos do Ku De Ta e fomos passear antes de jantar.

As principais ruas dali, para se orientarem, são as Jalan Oberoi (também chamada de Kayu Aya) e Raya Seminyak. A primeira é o spot dos restaurantes, cafés, lojas e onde fica o shopping Seminyak Square. 

Em Bali come-se muito bem, eles sabem servir, super healthy, e com um empratamento sempre exemplar.Não me lembro de nenhum sitio para vos recomendar, mas porque também não tivémos nenhuma má experiência. 

Um must place, sem dúvida, além de ser muito giro tem lojas de roupa (caras) linda e de decoração - compram-se aqui bons móveis de estilo balinês.

Outra experiência muito gira que tivémos oportunidade foi de ir até Sanur, ao Rip Curl Surf School e fazer uma aula de SUP. Foi muito divertido, muito bonito e uma ótima maneira de nos distrair. O professor era Italiano e tinha-se mudado para Bali há 6 anos, casado com um local, já tinha 3 filhos e dava aulas para ganhar dinheiro. Fizémos aula de 2 horas na baía, faltou-nos coragem de passar o recife e ir sentir a adrenalina das ondas. Mas a palavra tubarão afastou-nos!!! 

Sanur é uma zona mais calma de hoteís mas pareceu-nos menos apetivel do que as outras que tivémos.

Durante a lua de mel, não optámos por alugar motociclo, pois não somos pessoas experientes nessa área e optámos por táxi. Em média fica em 30 euros o transporte de Nusa Dua até Kuta, por exemplo. Em Ubud, do nosso hotel até a cidade custava 5 euros. As viagens são seguras apesar do trânsito e os motoristas, simpáticos e atentos. 

A última semana de lua de mel, foi maravilhosa, super zen e muito bem aproveitada.

Bali é sem dúvida um destino de sonho, com inúmeros sítios a visitar e certamente ficaram outros por ver - Uluwatu, Jimbaran, Ubud Monkey Forest, Mount Batur... 

 

 

03
Out16

À conversa com... Andreia Revez

O "À conversa com..." desta semana é com alguém que já referi no blog, mas que ainda não apresentei oficialmente. É uma honra ter aqui esta conversa, pois a convidada é alguém com uma agenda sempre bastante ocupada e tem sempre um sem número de Clientes para atender.

Sem mais demoras, apresento-vos a Andreia Revez. A Andreia é a minha nutricionista e foi a especialista responsável pelo acompanhamento na gravidez e no pós parto do Diogo (o terceiro D). Responsável, porque foi ela quem me ajudou a encontrar o equílibrio necessário durante a gravidez e que me guiou no processo do pós parto. Além de ser um amor de pessoa, é muito acessível, muito prática e super esclarecedora. 

É uma apaixonada pelo que faz e a sua carreira é multidisciplinar, tem conhecimentos nas vertentes da Alimentação, Nutrição, Saúde e Exercício.  É licenciada em Nutrição e Engenharia Alimentar pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz onde concluiu também uma pôs-graduação em Nutrição Clínica e está a terminar o Mestrado em "Alimentação durante a gravidez".

Tem um livro que me ajudou imenso chamado de  "Quer emagrecer? Naturalmente" que além de ser muito didático, simples, desafia a um plano durante 28 dias a emagrecer mas a comer bem. Foi a Andreia que me ensinou que podemos comer ovos de todos as maneiras e que são ótimos para matar a fome e manter-nos saciadas. Ovos mexidos ao pequeno almoço e ovos cozidos ao lanche. Podemos comer mozzarela de bufala ao pequeno almoço e que tal uma sopa para o lanche?!
Frequentei também um workshop leccionado por ela acerca da Introdução da alimentação nos bebés "Curso de Diversificação alimentar" e foi além de esclarecedor um salva vidas lá em casa. Conheci a Andreia, no Centro Pré e Pós Parto em Lisboa, local onde a conheci há 3 anos e meio. 

Ter sido acompanhada pela Andreia no pré e pós-parto do Diogo foi crítico para manter a minha e a saúde do Diogo, despertou em mim vontade de experimentar novos sabores e novas receitas, fez-me deixar de parte muitos alimentos e estou-lhe muito agradecida por todo o apoio, carinho e amizade com que sempre me impulsionou, ensinou e partilhou. Muito Obrigada!!! 

Aqui fica o "À conversa com..." desta semana. Espero que gostem!

Andreia, bem-vinda a este cantinho e obrigada por me conceder esta conversa tão importante que certamente irá gerar curiosidade.

Desde o primeiro dia que a conheci percebi que ama aquilo que faz. Estou certa?

Andreia: Apanhou-me! É totalmente verdade... A melhoria da saúde e estilo de vida são a minha paixão desde sempre. Lembro-me de ser criança e querer ser médica, depois professora de ginástica e ser nutricionista chegou com a adolescência. Depois das minhas duas licenciaturas nesta área tirei um mestrado e foi aqui que descobri a minha paixão - ajudar mulheres/casais a melhorar a sua fertilidade, a otimizar a saúde na gravidez e pós-parto.

 

A vertente de pré-parto e pós-parto foi algo natural de escolher?

Andreia: Foi e tem sido uma paixão crescente. Quanto mais trabalho nesta área mais sei que é aqui que me realizo. Este tema começou a ser importante para mim na escolha da minha tese de mestrado e até hoje todos os dias vou mais rica para casa depois de um dia de trabalho.

 

Quantas grávidas e mulheres em pós parto já acompanhou? Alguma história que queira partilhar?

Andreia: Não faço ideia...todas são importantes... Ainda esta semana conheci o bebé de uma cliente minha que tentava engravidar à 6 anos. Foi muito especial. Desafiei a semana passada 70 mães inspiradoras a aderir a um desafio - não comer farinhas refinadas, açúcares e adoçantes por 28 dias...contagiei-me com tanta motivação!

 

Qual o peso ideal que uma mulher grávida deve ganhar?

Andreia: Depende de mulher para mulher é de gravidez para gravidez. Genericamente diz-se que este aumento (não em gravidezes gemelares) deve rondar os 10-13 Kg, mas uma grávida com excesso de peso pode e deve aumentar menos de peso. O que mais queremos é que a grávida se alimente bem, faça exercício físico, se possível e que tenha umas boas análises clínicas.

 

Se pudesse escolher 3 dicas de estilo de vida saudável a indicar a uma paciente quais seriam? 

Andreia:

1) comer alimentos que consigam imaginar na natureza - cada vez mais no supermercado encontramos alimentos que vêm em embalagens e que duram anos sem se degradarem. 

2) Dormir bem e horas suficientes.Ter uma boa higiene do nosso sono é essencial para conseguirmos ter uma boa saúde com tantos estímulos que temos nos nossos dias. Desligar a mente à noite... Faço questão de raramente responder a e-mails depois de sair do trabalho. Faço-o logo de manhã.

3) Ser activo. Nem todos vamos ser atletas mas hoje em dia o stress, a má alimentação e o pouco tempo que temos tem feito com que grande parte da população se mexa muito menos do que deveria. Não só pela gestão do peso mas muito pela nossa saúde emocional é urgente sermos mais activos

 

O seu livro "Quer emagrecer? Naturalmente" é para mim como uma bíblia. Aprendi imenso nas consultas, no livro e nas nossas conversas. O que lhe falta ainda na sua profissão? 

Andreia: Obrigada! Tanta coisa... A nutrição é uma ciência em constante evolução...não podemos nunca achar que já sabemos tudo. Parar de estudar está fora de hipótese. Assim como a natureza ou estamos a crescer ou estamos a morrer...

 

A alimentação saudável do bebé é também uma prioridade para si. E assisti a um workshop onde aprendi muito. O problema da obesidade infantil ainda é uma realidade? Como podemos prevenir com os nossos filhos? E remediar se já tiver de ser?

Andreia: A alimentação complementar dos bebés para mim é fascinante. É o nosso primeiro contato com os alimentos que não o leite materno... Os bebés são muito observadores e os nossos exemplos são de extrema importância, mesmo quando achamos que ainda é cedo... Também o contato livre sem pressões para comer grandes quantidades acho importantíssimo, ou seja, o bebé deve comer aquilo que lhe apetece, dentro de uma oferta saudável, e ter a possibilidade de explorar os alimentos, a sua textura, cheiro e sabores.

No que toca à obesidade infantil é muito importante os pais estarem informados sobre como alimentar os seus filhos de forma saudável pois a indústria alimentar é extremamente enganosa nas informações que coloca nos alimentos. Saber ler corretamente um rótulo alimentar é algo que, para mim, deveria ser sempre tema numa consulta de pediatria. Costumo dizer que se o alimento é vendido apenas para a criança é porque está, na sua maioria, "carregado" de açúcar. Claro que as crianças podem comer bolos e gelados mas isto deve ser a exceção e não a base diária. Congruência também é importantíssima na alimentação que disponibilizamos aos nossos filhos... Não vale dizer-lhe para comer a sopa quando nós não o fazemos...