Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Inês3D

Inês3D nasce da necessidade de escrever, de partilhar momentos, emoções, dicas, pensamentos... acerca de mim, da minha família e daquilo que considero relevante os outros saberem. Sem nunca ser demais, sem ser de menos...

Inês3D

Inês3D nasce da necessidade de escrever, de partilhar momentos, emoções, dicas, pensamentos... acerca de mim, da minha família e daquilo que considero relevante os outros saberem. Sem nunca ser demais, sem ser de menos...

13
Jan17

Viagem # Londres chamou e nós fomos!

UNADJUSTEDNONRAW_thumb_3d5b.jpg

Já é tradição familiar que nas férias de natal a família sai de lisboa rumo ao tão desejado passeio.

Para fechar o ano de 2016, escolhemos uma capital, em que tivéssemos de ir de avião, com família a residir e que os miúdos ainda não conheciam. A cidade eleita pela família foi Londres.

Uma das cidades mais dinâmicas, mais movimentadas, mais cansativas (no bom sentido), com uma imensa diversidade cultural e com imensas atrações para graúdos e crianças. Ainda para mais com família lá a morar, a organização do alojamento tornou-se mais fácil, menos dispendiosa e mais confortável.

Londres é uma cidade sempre pronta a receber qualquer nacionalidade, com uma capacidade extraordinária em agradar “gregos e troianos” e muito fácil de percorrer (seja a pé, de autocarro ou de metro). Mas quando se viaja com crianças, é indispensável a organização dos dias, essa gestão é fundamental para que o que estabelecemos como essencial a ver seja cumprido.

De cá foi uma lista imensa de intenções e uma ajuda muito grande de uma família numerosa que já lá tinha ido em junho e que veio facilitar muito a otimicação dos dias na cidade londrina. Não desprestigiando a ajuda fundamental dos primos residentes. Obrigada André, Carlos, Joana e Patrícia, vocês foram Top!

Primeiro, é o arrumar das malas. Normalmente, segue já tudo de cá organizado por dias, desde, as meias até o gorro. Isto aplicado aos 3D´s e a mim, claro. Não levei roupa a mais, pois contava com uma tarde ou alguma oportunidade para compras. Quanto à alimentação não levei nada, pois Londres tem tudo, por todo o lado há lojas de conveniência, um Sainsburry, uma mercearia, o que torna muito fácil as deslocações em passeio bem como preparar pequenos almoços e lanches para durante o dia. Outros elementos básícos que viajaram connosco foram dois carrinhos de passeio – um para o Duarte, outro para o Diogo - estes permitiram que os miúdos ficassem abrigados do frio e da possível chuva mas também que pudessem descansar e dormir.

 

UNADJUSTEDNONRAW_thumb_39ec.jpg

 

Viajámos na British Airways, para lá e para cá, e confesso que não correu bem. Para lá as condições atmosféricas não ajudaram – Londres estava carregado de nevoeiro, o que levou a uma 1 hora e 45 minutos à espera dentro do avião para partir. Em nenhuma das viagens foram servidas refeições, apenas um snack, o que provocou algum desconforto na família, pois não iamos preparados para essa situação. Nunca mais viajo sem ter a certeza que são servidas refeições a bordo. Lesson learnt!

Fomos de domingo a quarta-feira, estivémos alojados em Battersea (zona de residência muito gira, super cool com as casas pequenas, super cozy e com aquele estilo vitoriano), por dentro as casas parecem de bonecas. Pela estrutura com escadas, pela dimensão das assoalhadas e por serem tão diferentes do que estamos habituados. Adorei a zona e é super acessível para chegar a todo o lado. Uma vez mais, tivémos a enorme vantagem de termos um guia particular – o André – que nos acompanhou sempre e bastava dizer queremos ir ali amanhã e nada falhava.

O que pode ter alterado os planos? O Diogo ter estado em baixo de forma, com muita tosse e a fazer picos de febre ao final do dia; o frio que se fazia sentir na rua e o ser o período do ano com mais turistas na cidade a incidir com as férias dos residentes. Nós fomos na semana mais movimentada do ano no Natal (18 a 21 dezembro).

Quem viaja com crainças e em família tem sempre de ter a dita lista de locais a visitar para gerir melhor os dias mas também para cumprir com as intenções, e foi isso que fizémos.

Aqui fica a lista de lugares que fomos e sugerimos.

 

Domingo:

Dia em que chegámos já com algum atraso. Tivémos de ajustar a agenda. Ficámos pela zona de Battersea e fomos visitar um Deli com imensos produtos orgânicos, gluten free em que assim que entrei só queria provar e levar.

 

Segunda-feira:

Começámos em Borough Market – o mercado de alimentos mais antigo da cidade. Com mais de 700 bancadas de alimentos – peixe, ostras, queixo, patés, pão, legumes, frutas, smoothies, granola, frutos secos. Pode comprar-se de tudo, não sendo barato é um must see para conhecer e para perceber-se que de fato Londres está a mudar hábitos na alimentação. E serviu também para eu me deliciar com os ingredientes novos, para ver as tendências, para poder provar e comer as iguarias que este mercado tão trendy , o mais antigo de Londres, tem para oferecer. Os miúdos gostaram muito, pois comida é sempre muito bom para aquecer e para os distrair.

Morada: Borough High Street, SE1

Estação de metro mais próxima: London Bridge ou Borough (linha Northern)

Horário do mercado:

Quarta e quinta-feira: 10h00 – 17h00
Sexta-feira: 10h00  – 18h00
Sábado: 8h00 – 17h00

 

 

Depois do mercado fizémos um passeio a pé pela margem do Tamisa (Thames), onde vimos imensas bancas de venda de livros antigos, feiras de natal e até um skate park. Passámos em frente ao London Eye e atravéssamos uma das pontes até à outra margem.

 

 

Passeámos por Trafalgar Square, fomos almoçar a uma hamburgaria na zona de Westminster. Seguimos para a Loja da M&M´s, onde os 3D ficaram loucos com as cores, com os bonecos e claro que com a oferta presente em cada tubo destas bolinhas mágicas. Dali seguimos a pé até Piccadiliy Circus, onde fomos vislumbrando os animadores de rua, a publicidade impactante e luminosa, a multidão na rua... Uma cidade que nunca pára. Próxima atração: Winter Wonderland para os D´s e eu ir até ao Mae Deli da 21 Seymour Place com o Primo André. O grau de comparação é mesmo este, para eles andar no carrossel, na montanha russa e para eu poder entrar, cheirar, ver, sentir o “império” Deliciously Ella que eu tando admiro, adoro e que estava (confesso) ansiosa por ir. A visita valeu muito a pena e tive tempo para experimentar um smoothie delicioso e um carrot cake de babar. Para o final do dia marcámos ir até ao Harrod´s e ver (brincar) no piso dos brinquedos!

 

 

Os jantares foram sempre em casa, ora em casa duns primos ora doutros. Os almoços sempre perto de onde estávamos, e a oferta é elevada. Os preços são acessíveis e todos os restaurantes têm menu infantil, opções para vegan, gluten free ou dairy free.

 

Terça-feira:

Primeiro de tudo, comer um bom pequeno-almoço em casa, preparado pelo André e ajudado por mim. Como não cozinhar?!

Saímos rumo ao Madame Tussauds. Comprámos bilhetes online para não termos de esperar nas filas. Apesar de termos chegado fora do horário, para o que tinhamos comprado, não tivémos problema e entrámos. Primeiro contra-tempo: os carrinhos, e os sacos não podiam entrar e tivémos de deixar no bengaleiro o que significou andar com o Diogo ao colo ou a controlar com a máxima atenção quando o punhamos no chão. Foi muito cansativo, mas também muito giro e os outros D´s adoraram. Tirámos imensas fotografias e foi um momento alto da viagem. O baby Diogo saiu com o Pai antes da visita terminar, pois o final da visita foi um filme em 4D da Marvel e sabíamos que ele se poderia assustar. Madame Tussaud Recomendo!

Próxima paragem Oxford Street para ver algumas montras e procurar local para almoçar. Não foi fácil, dado o elevado número de pessoas em Londres nesta altura do ano. Depois de comer houve tempo para passear em Hyde Park e ir até o Palácio de Buckingam ver a guarda real e mostrar ao Dinis (o único D acordado) o palácio da rainha. Fomos ainda até a zona de Covent Garden onde a intenção era jantar cedo mas valeu pela intenção. A zona estava cheia de gente, nós já muito cansados e tomámos a decisão de ir para casa jantar. Lanchámos antes e ainda tive tempo de ir espreitar uma das minhas lojas preferidas a Kikki.k (que já vos falei noutro post).

 

 

Quarta-feira (último dia):

Já tanto que se tinha falado em esquilos em lisboa e em Londres que não havia hipótese alguma de sair da capital britânica sem ir ver estes simpáticos bichos. Com a ajuda do André e do Carlos lá fomos até a Kensington Garden – jardim absolutamente bonito, bem cuidado, bem frequentado - e onde os amiguinhos esquilos fizeram questão de aparecer e de darem o ar da sua graça.

A caminho e para fechar em grande ficámos de ir ao Museu de História Natural. E claro que fomos. Os 3D´s adoraram e confesso que eu também. O Museu é gratuito, a fila não estava grande (entrámos pela porta lateral e não pela principal das escadarias) e guardámos os casacos e carrinhos no bengaleiro. Os casacos e carrinhos das crianças são grátis. Demos uma volta pela exposição dos Vulcões, Tremores de terra onde pudemos sentir um mini tremor de terra. E depois visitámos a zona dos animais, onde a variedade é enorme e o percurso muito bem explicado. As réplicas são extraordinárias e foi muito giro, interessante e uma excelente lição para todos. Aproveitamos o tempo ser curto e almoçámos no museu. Onde comemos bem e mais uma vez com preços acessíveis.

 

 

Visto o museu e a loja de souvenirs era hora de regressar a Battersea para fechar malas e apanhar o Uber que nos levou ao aeroporto.

 

Pontos fortes da Viagem:

  • Reações e comentários dos D´s a vários episódios que tivemos oportunidade de viver (O Dinis adorava ver os carrões a passar na rua e tirar foto com os estacionados);
  • Os autocarros de dois andares e o cumprimento de horário de todos sem excepção dos Bus;
  • Museu de História Natural e Madame Tussaud;
  • Ir ao Mae Deli e a visita a todos os Saisnbury´s em que pude entrar;
  • Entrar no Harrod´s e deliciar-me com as caras dos D´s no piso dos brinquedos;
  • Ir à loja da M&M´s e não assistir às birras dos meus filhos – vimos muitas!!! 

Pontos menos bons da Viagem:

  • A espera para a partida e a falta de refeições a bordo;
  • A diferença de temperaruras: na rua faz frio mas dentro das lojas, restaurantes, museus é um exagero;
  • Não ter conseguido ir ao Whole Foods nem à GAP fazer compras;
  • Não termos conseguido jantar fora num dos restaurantes do Jamie Oliver;
  • O estado adoentado do Diogo e o nosso cansaço;

De resto correu tudo muito bem, é uma cidade fácil de viajar em família (não na altura do Natal), com imensas atividades para fazer, os autocarros cumprem horários, boa oferta de restauração, mini mercados por todo o lado onde dá para comprar leite, bolachas (sem glúten), pastilhas elásticas ou um snack (frutos secos, imensa variedade), etc.

Dica (e volto a repetir-me): planear viagem e ajustar no local consoante necessidades. Mas o melhor mesmo é ir vão e divirtam-se!!

London is calling!!!

 

 

 

 

 

1 comentário

Comentar post